Algumas noções de Direito para blogueiros

Nos últimos meses passamos a acompanhar muitas notificações e processos judiciais sendo movidos contra blogueiros, que normalmente não possuem o conhecimento necessário para evitar este tipo de situação e normalmente não sabem como fazer para se defender. Além do kit básico, que seria evitar ao máximo a pirataria, ataques sem fundamento à empresas e pessoas bem como o uso indevido de marca ou da propriedade intelectual, existem muitas questões que devem ser observadas para evitar problemas futuros.

Hoje eu encontrei um texto muito interessante no Observatório da imprensa que deve ser compartilhado com o maior número de pessoas, pois poderá ser útil para muita gente!!

Este material deve ser lido com atenção por todos os editores de sites ou blogs, devendo ainda ser guardado para consulta futura em caso de problemas. O texto é simples e de fácil entendimento, e deve ser considerado um ótimo material de apoio para todos aqueles que trabalham com blogs na internet! Leia o texto abaixo transcrito em sua íntegra!!

“Por Túlio Lima Vianna e Cynthia Semíramis Vianna
Legislação ou noções de Direito não fazem parte do currículo escolar. Legislação, em si, não é para lamentar, pois pressupõe a simples memorização de leis. Se estas forem revogadas, a memorização foi inútil.

Mais importantes, e menos voláteis, são as noções de Direito. Elas se fundam em princípios, sejam jurídicos, sejam sociais, orientando na elaboração das leis.

Dessas noções é que trataremos neste artigo. Destinam-se principalmente aos autores de blogs, mas podem ser estendidas a todos os interessados em utilizar a internet como forma de comunicação. O objetivo é suprir o conhecimento básico do Direito que deveria ser ministrado na escola, e proporcionar melhor compreensão das condutas que, se adotadas, podem evitar ações judiciais.

Anonimato

Um blog anônimo hospedado em servidor estrangeiro dificilmente será alvo de um processo no Brasil. Isto porque o procedimento exige que o juiz brasileiro requeira ao colega estrangeiro, por meio do serviço diplomático, a retirada da página hospedada em outro país.

Um blog anônimo hospedado no Brasil, porém, pode ser facilmente retirado da internet, por meio de ordem judicial dirigida diretamente ao servidor, neste caso sujeito à lei brasileira. Além disso, o juiz pode determinar ao servidor a quebra do sigilo contratual e a informação do nome e outros dados do titular do blog. Ele, posteriormente, poderá ser alvo de um processo de indenização por danos morais ou mesmo criminal.

É bom frisar que a Constituição Federal garante a livre manifestação do pensamento, mas veda expressamente o anonimato (art.5º, IV) que, em princípio, poderá ser interpretado como má-fé do autor.

O pseudônimo adotado para atividades lícitas goza da proteção que se dá ao nome (art.19 do Código Civil). No caso de um processo, o juiz determinará ao servidor que forneça o nome e dados verdadeiros do autor do blog, tal como na hipótese do anonimato, mas o uso do pseudônimo, por si só, não poderá ser interpretado como má-fé.

Disclaimer

A interação dos leitores pelos comentários é uma característica marcante dos blogs. Deveria ser óbvio que, por serem opiniões de terceiros, não representam necessariamente a opinião do autor. Porém, nem todas as pessoas conhecem um blog ou entendem sua estrutura de imediato. A função do disclaimer é exatamente a de informar a quem chega que o espaço dos comentários pode ser utilizado, inclusive para discordar do ponto de vista do autor, mas que a pessoa será responsável por aquilo que escrever.

O disclaimer, porém, não isenta o autor do blog de uma eventual responsabilidade civil ou mesmo criminal. Como o blogueiro é, tradicionalmente, a pessoa que detém o poder de autorizar os comentários, editá-los ou apagá-los, dependendo do sistema utilizado, a página de comentários está também sob sua responsabilidade.

Adotar posturas que possibilitem maior controle dos comentários, como impedir que sejam feitos em posts antigos ou cadastrar previamente quem desejar comentar, também ajuda a reduzir o risco de processos por comentários ofensivos. No caso de dúvidas quanto à possibilidade de identificar o autor, ou do comentário ser injustamente ofensivo a terceiros, é recomendável apagá-lo, pois o autor do blog pode ser responsabilizado juntamente com o autor do comentário.

Os tipos de responsabilidade jurídica

Um comentário ofensivo pode gerar dois tipos diferentes de responsabilidade jurídica: a responsabilidade criminal e a responsabilidade civil.

A condenação criminal, em regra, resulta na prisão do culpado, mas em crimes leves – como nos casos de crimes contra a honra – a prisão pode ser substituída por prestação de serviços à comunidade e/ou multa.

A condenação civil é sempre patrimonial e consiste no pagamento de uma indenização à vítima pelos danos sofridos.

Os tribunais têm entendido, corretamente, que somente a pessoa física pode ser vítima de crimes contra a honra. As empresas, portanto, não podem ser vítimas de crimes contra a honra e somente poderão acionar o autor das ofensas no juízo cível.

Responsabilidade penal

Três são as modalidades de crimes contra a honra: calúnia, difamação e injúria.

** A calúnia (art. 138 do Código Penal) é a imputação falsa de fato criminoso a alguém. Para a sua caracterização é necessária a descrição do falso crime. Ex: uma postagem na qual o autor afirma que viu Tião Medonho furtando livros na biblioteca na noite anterior. O uso de expressões como “ladrão”, “bandido”, “corrupto” etc. caracteriza o delito de injúria, não o de calúnia.

** A difamação (art. 139 do Código Penal) é a imputação de fato ofensivo à reputação de alguém. Ao contrário da calúnia, aqui não há necessidade de que os fatos sejam falsos. Ex: uma postagem na qual o autor afirma que viu Patrícia Angélica se prostituindo na noite anterior. Mesmo que a informação seja verdadeira, caracteriza-se a difamação. É bom frisar que a simples postagem “Patrícia Angélica é uma prostituta” configura a injúria, pois na difamação deve haver a descrição do fato desonroso.

** A injúria (art. 140 do Código Penal) é qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário das hipóteses anteriores, não se imputa um fato, mas uma opinião. É caracterizada principalmente pelo uso de palavras fortes: ladrão, prostituta, idiota e, muitas vezes por expressões de baixo calão. Ressalte-se ainda que a injúria terá a pena aumentada se praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.

Evidentemente, em todos os casos acima, para a caracterização dos crimes é necessário que as ofensas sejam proferidas contra uma vítima determinada. A afirmação vaga de que “há uma colega na minha sala que é prostituta”, sem a possibilidade de determinar a quem o autor se refere, não configura o crime.

Responsabilidade civil

A ação de indenização por dano moral tem por fim uma reparação econômica pela desonra sofrida.

Inicialmente destinada às pessoas físicas, acabou sendo reconhecida também como instrumento de tutela dos direitos da pessoa jurídica (Súmula 227 do STJ).

Ao contrário da esfera criminal, na qual estão expressamente previstas as condutas proibidas, na esfera cível há tão-somente a determinação que:

Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito. (art.186 do Código Civil)

Conclui-se, pois, que são necessários os seguintes pressupostos:

1. Ação ou omissão: tanto o autor dos escritos quanto o responsável pelo blog que permitiu a postagem de comentários ofensivos à honra de alguém podem ser responsabilizados pelo dano moral;

2. Dolo ou culpa: age com dolo o agente que agiu ou omitiu-se intencionalmente. Age com culpa quem não desejava o resultado, mas por negligência ou imprudência gerou o dano;

3. Dano: não há responsabilidade civil sem dano. O dano pode ser material (ex: a vítima deixar de fechar um contrato milionário em virtude dos escritos) ou moral (ex: a vítima ter sua respeitabilidade maculada pelos escritos);

4. Nexo de causalidade: é imprescindível comprovar que a ação ou omissão do agente foia causadora do dano material ou moral.

Nota-se que, por sua própria natureza, a responsabilidade civil é, ao contrário da esfera criminal, absolutamente indeterminada, sendo definida pelo juiz na análise de cada caso.

A sugestão de valor de indenização por danos morais feita por advogados não é, por si só, indicativa do valor da indenização ao fim do processo. Esse valor é decidido exclusivamente pelo juiz, após analisar todas as provas juntadas aos autos, inclusive as que comprovarem o prejuízo sofrido.

Alguns cuidados na redação de críticas

** A crítica deve ser objetiva. Isso significa que ela não deve ser feita à pessoa, mas a um fato, a algo que ela fez. Numa crítica literária, deve-se discutir a obra, não o autor. Numa crítica ao comportamento de alguém, deve-se criticar apenas a atitude desagradável.

** As críticas subjetivas, em regra, são possíveis tão-somente quando atacam uma opinião, e não uma pessoa. É lícito dizer que é estúpido o raciocínio simplista de que aumentando a pena diminui-se a criminalidade. Mas deve-se evitar dizer que a pessoa que emitiu esta opinião seja estúpida. Ainda que eventualmente os raciocínios estúpidos sejam provenientes de pessoas estúpidas, uma afirmação como essa não pode ser considerada uma ofensa, pois mesmo indivíduos brilhantes emitem opiniões infelizes.

** Deve-ser evitar criticar uma empresa sem ter algo contra ela. A reclamação pode ser feita, sim. Mas quem reclama deve fazê-lo com base em fatos, não em suposições, ou porque ouviu alguém reclamar. A crítica aos serviços das empresas pode ser considerada de utilidade pública, mas deve ser dirigida ao serviço prestado, não ao dono ou à empresa como um todo, a menos que quem critique realmente tenha algo contra eles, e possa provar isso.

** Se uma empresa reclamar por e-mail do que foi escrito sobre ela, é aconselhável que o autor do blog convide-a a integrar o debate e se manifestar no espaço de comentários, dando-lhe a oportunidade de emitir sua opinião e, porventura, alterar a opinião dos demais debatedores. Não há, em princípio, a obrigação de retratação ou de retirada de comentários, a menos que os termos usados tenham sido realmente desrespeitosos e ofensivos.

** Não se deve usar o nome de uma pessoa para expô-la ao desprezo público, como nas “páginas de ódio”. Isso é vedado pelo art. 17 do Código Civil. Evitar expor o e-mail de um desafeto também é aconselhável para não se perder o controle do debate ao estendê-lo a terceiros, nem aumentar a possibilidade de ofensas ou prejudicar o funcionamento normal do e-mail da pessoa.

** O autor do blog tem o dever de cuidar da veracidade da informação que vai publicar, verificando sempre a origem da notícia que será divulgada. Por mais que o blogueiro tenha orgulho em ser pato do Cocadaboa, não deve divulgar boatos ou fatos não-confirmados.

** Não se pode esquecer que, mesmo usando pseudônimo, o conteúdo do blog pode facilitar a identificação de seu autor, seja por amigos ou colegas de trabalho. Assumir um pseudônimo exige cuidado redobrado nas informações disponibilizadas para não dar margem à interpretação de que o pseudônimo foi usado para fornecer informações que não seriam publicadas se fossem feitas com o próprio nome.

** A Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98) protege o direito do autor de ter seu nome associado a sua obra. Sempre que o responsável pelo blog mencionar algo que não é de sua autoria deve indicar o nome do autor e a fonte de onde o texto foi retirado. Se a pessoa não souber quem é o autor, deve explicar que o trabalho é de autoria desconhecida. Preferencialmente, o trabalho de outrem deve ser destacado do trabalho do autor do blog, seja por fonte diferente, recuo de margem, ou outro recurso que não deixe dúvidas quanto à autoria de cada um.

** Em hipótese alguma se pode alterar o texto de terceiros sem autorização expressa do autor, pois isso também constitui infração prevista na Lei de Direitos Autorais.

Em caso de processo

** Guardar as mensagens de advogados (sejam por e-mail ou por correio tradicional) requerendo a retirada de artigos ou comentários do blog em tom ameaçador e arbitrário é uma boa providência, pois as mensagens poderão ser incluídas na instrução de um eventual processo.

** Se uma pessoa receber notificação assinada por advogados, mas tiver dúvidas sobre a sua autoria, deve procurar informações na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Como princípio básico, advogados sempre acrescentam o número da OAB e a região de registro (MG, SP, RJ, PR etc.) à assinatura. Quem se apresentar como advogado sem ter habilitação legal para isso pode ser processado por falsidade ideológica.

** A notificação, apesar da formalidade, é um ato extra-judicial que não obriga o notificado a fazer nada. É realizada por um cartório de notas e se destina a comunicar um fato ou requerer uma ação de alguém. Não é necessário haver processo para ser feita a notificação. Seu descumprimento pode ser utilizado como prova em posterior processo judicial, mas não há qualquer obrigação legal de cumpri-la.

** Caso o autor do blog receba uma citação, deve procurar um advogado de confiança, pois já foi iniciado um processo judicial e, neste caso, é imprescindível a assistência jurídica.

** A liminar é uma decisão judicial concedida pelo juiz sem ouvir a parte contrária, com o fim de evitar um prejuízo maior à suposta vítima. Por mais arbitrária que ela possa parecer, deve ser cumprida, imediatamente, na íntegra. Posteriormente, com a assistência de um advogado, pode-se reverter essa decisão no julgamento definitivo da causa.

Uma última palavra

Não pretendemos esgotar o assunto com esse guia, mas apenas orientar os colegas blogueiros sobre os efeitos jurídicos de seus atos. Traçamos linhas gerais de conduta, e explicamos os problemas mais comuns, na esperança de ver minimizadas as ações judiciais contra textos publicados na internet.

As orientações aqui constantes são baseadas nos entendimentos majoritários dos Tribunais e não quer dizer que necessariamente concordemos com todas elas. Nem todos os casos estão previstos aqui, e nem sempre este guia será o bastante, o que torna essencial ter um advogado de confiança para consultar em caso de dúvida.”

20 comentários em “Algumas noções de Direito para blogueiros

  1. Acho que vai ajudar alguns blogueiros a serem menos frouxos.
    Faz-se um comentário, não publicam; escrevem algo, e já se desculpam no final com o ¨eventual¨ injustiçado. E por aí vai…

  2. Rodrigo,

    você falou sobre evitar ao máximo a pirataria e etc.

    Me pergunto, e pergunto a você. A Nokia deveria considerar seu post sobre como mudar o product code do N97 (que você ganhou da própria empresa) como uma espécie de pirataria?

    E se eu alterasse do meu aparelho, na vã esperança de conseguir a estabilidade e funcionalidade esperada de um celular de R$ 2.399,00, e tivesse problemas durante a atualização. Poderia usar a meu favor o fato de que um “colaborador” da Nokia, alguem que frequentemente realiza trabalhos para a empresa, e também recebe “mimos”, me incentivou?

    A Nokia esta perdendo terreno. A Nokia de amanhã é a Motorola de hoje. Isto ajuda a explicar muitas das ações judiciais que ela vem realizando.

    Felizmente, ou infelizmente a Apple entrou no mercado e abalou o velho mercado estagnado em que a Nokia se tornou unanime. Por sua vez, a Nokia não conseguiu se reinventar. Não consegue atender seus clientes mais rentáveis (e exigentes). E apela para praticas ortodoxas de empresas que estão perdendo.

    A Nokia deveria parar de mimar os blogueiros, jornalistas, artistas e pseudo-formadores de opinião em geral. E deveria voltar a criar aparelhos líderes, ótimo tecnicamente, e inovadores.

    []s

  3. rodrigo m ajuda em uma coisa!! tem como hackear a firmware 20 do n97?? pq eu ja usei o heloox 2.03, 2.0, e nada!! vc sab como hackear?? abraços!!

  4. Boa Noite Gabriel!!Em primeiro lugar gostaria de comentar que o único aparelho que ganhei da Nokia até hoje foi o N97, sendo que este aparelho foi enviado para um grande número de blogueiros do Brasil todo no evento Nokia Camp.

    Normalmente só recebo os aparelhos para teste e tenho que devolver em um prazo de 1 semana, e todos os aparelhos que já publiquei um maior número de posts foram comprados com o meu próprio dinheiro. Nunca gostei de ganhar aparelhos, e prefiro comprar o que gosto para falar no blog.

    Não considero a mudança do product code pirataria, pois não estou fazendo o download de nenhum conteúdo ilegal, mas não recomendo tal modificação, pois até mesmo uma simples atualização pode causar problemas no aparelho, imagine este tipo de modificação.

    Normalmente a alteração de product code é uma alteração que a empresa não recomenda, e acredito que você não poderia usar isso em seu favor, até pelo fato de que todos sabem que esta alteração é um procedimento que tem seus riscos.

    Lembre-se que mesmo uma atualização normal de product code tem seus riscos, e pode eventualmente causar problemas em seu aparelho.

    Pode ter certeza que de todos os sites que mantém algum tipo de relacionamento com a Nokia eu sou um dos que menos aborda este tipo de assunto, e também não faço questão de ganhar mimos, pois como já disse, acho muito melhor poder comprar os aparelhos que vou usar com frequência aqui no blog, mesmo que isso custe muitos pontos e fidelidade com a minha operadora.

    Então é isso, recomendo que você não altere o seu product code e espere pelas atualizações oficiais de seu aparelho.

    Um abraço!!

  5. Boa noite Rodrigo,

    muito obrigado pela sua resposta sensata e não demagógica.

    Quanto ao fato de você ter recebido um N97 de presente. É claro que você, eu, e provavelmente qualquer outra pessoa apreciaria.

    O ponto que acho desleal nesse tipo de situação é que ainda que você não admita, isto influenciou na sua opinião sobre o aparelho. E um sinal disto é que não ha nenhum post seu falando dos inúmeros problemas que o aparelho possui. Isto não lhe parece algum tipo de “psiu”?

    Alias, você mesmo atualizou o aparelho alterando o product code. Por que não produziu um review relatando todos os bugs que a versão 10 ou 11 do firmware (que deve ter vindo no seu) possui?

    Eu sei que o blog é seu. Compreendo que você tem todo o direito de escrever ou deixar de escrever o que quiser aqui.

    Mas também acho injusto ver apenas noticias boas, como se o N97 fosse uma cerejinha do bolo. Se você tivesse pago R$ 2.399 na pré-venda do seu aparelho entenderia o que eu digo.

    A parcialidade é um direito que você possui. A imparcialidade seria uma nobreza.

    []s

    1. Boa noite Gabriel!! Pode ter certeza que nenhum presente pode me fazer mudar minha opinião sobre um aparelho, o que acontece é que procuro fazer minhas críticas sempre de maneira polida e educada, independente da empresa que estou falando e do relacionamento que tenho com ela. A Nokia sabe disso e sempre respeitou minha opinião aqui no blog, e mesmo quando sou crítico o relacionamento continua bom. Se você fizer uma busca no blog verá que tenho muitas críticas sobre o N97, tais como os meus problemas com a Ovi Store http://www.rodrigostoledo.com/?p=17054, problemas com o multitasking http://www.rodrigostoledo.com/?p=17047, o flash da câmera http://www.rodrigostoledo.com/?p=16558, a memória cheia http://www.rodrigostoledo.com/?p=16536, sem falar do problema durante a coletiva de imprensa da Vivo quando o aparelho após 12 minutos de vídeo via Qik simplesmente zerou a bateria e me deixou na mão!! Todas estas situações foram relatadas em posts aqui no blog, sendo que de maneira alguma eu mudaria minha opinião por conta de um aparelho celular.

      Neste blog eu sou o editor, e a Nokia me encontrou aqui justamente pela imparcialidade de meus comentários e posts, e eu sempre vou manter esta conduta. Para finalizar, hoje eu uso o N97 mais para música e eventualmente para fotos, e prefiro utilizar o E75, o Milestone e o iPhone, dependendo da necessidade, e isso com certeza não tem nenhuma orientação de qualquer empresa, mas sim o meu gosto pessoal e necessidade.

      Lembre-se que em meus textos você nunca me verá chutando o pau da barraca, mas as críticas sempre existirão, de maneira polida e educada, mas sempre estarão por aqui!! Vale a pena você acessar os posts que eu citei neste post e em outros como em minhas férias em Natal, que comento também alguns problemas com o aparelho no aeroporto. Não tenho motivos para apoiar empresas aqui no blog, e falo bem somente das coisas que realmente gosto! Espero que você mude seu conceito ao ler com um pouco mais de atenção o blog.

      Um grande abraço!!

  6. Atitudes como este de você perder tempo respondendo educadamente à alguém que aparentemente caiu de paraquedas no blog e não viu o quanto temos de espaço para bater na Nokia (quando temos motivo) por aqui, é que justificam seu sucesso.
    Abs.

    1. Grande Carlos!!! Sabe que na confusão da promoção do N97 da Nokia muitos que reclamaram acabaram se tornando leitores fiéis e que comentam com grande frequência e sempre mandam sugestões de posts? Apesar do trabalho, acho que explicar e conversar é melhor do que entrar em atrito, e muitas vezes as coisas acabam se resolvendo bem!! Não importa o número de leitores, na minha opinião o grande sucesso é poder contar com leitores com a sua atitude, que na verdade são amigos!!! Um grande abraço meu amigo!!!

  7. Excelente material sobre a constução e manutenção de blogs. São noções básicas e sempre necessárias para que não haja a temível “censura”.

  8. Nu. Tive que ler…

    Sério Gabriel, para criticar é importante duas coisas, testar – no caso dos smartphones – e ler – no caso dos blogs.

    Eu veio aqui falar sobre o Rodrigo – apesar de achar que ele me ignora muito aqui onde sou leitor assíduo hahaha – e digo que o cara é o melhor blog exatamente porque não “veste a camisa” de nenhuma corporação. E na lógica do que sei sobre blogs na academia de jornalismo, entendo que blogs são sites pessoais para que as pessoas emitam suas opiniões. Então se eu seu quiser, por exemplo, comentar todos os posts do Rodrigo e ele não quiser responder é direito dele, se ele quiser escrever aqui 341 posts sobre o Nokia 1600 e nada sobre o N95 é um direito dele, entende? Não se pode cobrar direcionamento de conteúdo em blog, não é a Folha de São Paulo, ou Veja (ambos os veículos com uma parcialidade incrível e que ninguém critica) e por fim, é IMPOSSÍVEL ser imparcial em qualquer área de conhecimento, somos seres sociais e logo temos opiniões e parcialidade em TUDO que fazemos, senão seríamos árvores.

    O Rodrigo fala sobre a Google, Motorola, Nokia e MUITO sobre a Apple.

    Agora o que fica na minha cabeça ao ver essas coisas sobre blog é que a liberdade é – e sempre será – vigiada em qualquer nível. Acho que uma coisa é um cara montar um blog de fotos de mulher pelada amador roubadas de desktops em manutenção, outra coisa é uma pessoa fazer um blog obre um hobby como tecnologia e gadgets e que critique eventualmente um aparelho que comprou e que ficou infeliz com seus bugs, entende? É uma coisa muito díspare e pior, dá margem para que as mega corporações atuem livremente colocando gadgets porcarias no mercado.

    Ou alguém aqui tem pretensões de ficar lutando contra a Nokia, Motorola, Google e etc’s judicialmente???

    Todos teriam a mesma postura do NokiaBR, parar de escrever.

    Uma pena.

    1. Grande Rodrigo Ávila!!! Obrigado pelas palavras!!! Nem sempre eu consigo responder, mas pode ter certeza que leio cada um dos comentários todos os dias! Um grande abraço meu amigo!!!

  9. Boa noite!
    O primeiro blog que comecei a acompanhar timidamente foi o teu!Hoje acompanho vários diariamente e participo com as minhas opiniões!O que sempre gostei no teu blog foi a maneira polida e sensata da expor tuas opiniões e o que não gostava era a demora nas tua respostas!Em fim,parabens pelo artigo postado ótimo para blogueiros e participantes como eu!vou tomar mais cuidado quando escrever algo agora!Um grande abraço quebra costelas do RS!
    Ps.Já vou divulgar no twitter esse artigo!

  10. Caro Rodrigo e demais leitores.

    Gostaria de lembrar que a troca de product code é uma alteração de software, que diferente da atualização, quebra os termos de garantia do aparelho, ou estou errado?

    Quanto as criticas, sempre vão existir a diferença está na atitude, a Nokia pega as criticas e tenta melhorar, porem a ideia do gigante processar o blogueiro, faz a marca sangrar, por que a rede de amigos do blogueiro denuncia a atitude covarde e quem processou sai mais queimado ainda sem o devido retorno.

    O poder do publico é grande, e qualquer empresa que quiser sobreviver nos tempos de web 2.0 tem que assimilar criticas e ir em busca da qualidade total.

  11. Boa noite! sou novo nesse lance de ler bogs, comecei agora em dezembro de 2009, mas acho terrível que um blog tão bom quanto o “NokiaBR” tenha sido retirado do ar de forma tão arbitrária. Fiquei dois dias tentando acessá-lo sem conseguir até que descobri que tinha saído do ar.

  12. Muito bom o post. Todos os blogueiros devem antes de tudo devem saber o que pode e o que não pode ser feito. Muito importante, seguindo esta receita ninguém terá problema. E Rodrigo se tiver alguma coisa paro o Nokia N70 agradeço, quero usar este cel para capturar imagens e usa-las no meu blog, se puder passe por lá. Agradeço. Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.