E o tablet ficou em casa…

Eu adoro mobilidade e nos últimos meses voltei a trabalhar fora de casa e a necessidade de um bom kit de trabalho móvel se tornou muito importante, assim como a necessidade de levar somente os equipamentos necessários na mochila, para poder resolver qualquer problema carregando o menor peso possível.

O Macbook Pro de 13″ sempre teve lugar garantido na mochila, pois como todos os meus trabalhos pessoais estão nele e trabalho com este sistema há anos, sou mais veloz e produtivo neste equipamento. Junto com o notebook levo sempre o Galaxy Note e o Lumia 800, e também fiz alguns testes com o iPad 2 e a câmera Canon T3i para escolher o melhor kit de trabalho.

Apesar de adorar a Canon T3i, como nem sempre estou em eventos resolvi deixar ela em casa e tirar minhas fotos com os celulares, que na maior parte do tempo resolve com grande folga as necessidades básicas, o que deixou a mochila bem mais leve e segura, pois a câmera é um equipamento caro para ficar o tempo todo passeando pelas ruas de São Paulo.

O teste com o tablet foi mais longo e durante um bom tempo pensei em substituir o Notebook pelo iPad 2 nas visitas aos clientes, pois o seu tamanho, peso e custo o deixavam com uma grande vantagem sobre os equipamentos maiores. Para demonstrar vídeos e pequenas apresentações em PowerPoint o tablet se saiu bem, mas em tarefas mais pesadas e navegação em alguns sites com flash necessários para o meu trabalho as coisas ficaram mais complicadas, sem falar das ocasiões onde preciso instalar aplicativos em celulares fora do escritório.

Eu até consigo rodar sites em flash no iPad 2, mas o resultado é muito lento e ruim, o que pode deixar uma apresentação ruim, deste modo acabei optando por deixar o tablet em casa.

Claro que tudo depende do perfil de uso de cada um, mas para os trabalhos que executo hoje o tablet não consegue ajudar, e acaba se tornando um peso a mais na mochila que raramente consegue ser tão rápido e eficaz quanto o Macbook Pro. Conheço muitos usuários que trocaram Notebooks por tablets para trabalhos remotos e estão muito felizes e satisfeitos, mas no meu caso infelizmente não foi possível utilizar o iPad na rua para o trabalho mais pesado.

No final das contas estou levando somente o Macbook Pro, o Galaxy Note e o Lumia 800 para o trabalho, deixando na gaveta do escritório a dupla teclado / magic trackpad e um conector para o monitor externo. Assim a mochila ficou bem mais leve e estou preparado para resolver praticamente qualquer problema fora de casa ou do escritório!

33 comentários em “E o tablet ficou em casa…

  1. Para cada tipo de trabalho existem as ferramentas adequadas. No seu caso acho difícil abrir mão totalmente do notebook.
    Já em outras situações o Note já seria suficiente.
    Nas minhas últimas férias passei um mês mochilando pela Europa e levei uma câmera superzoom, um Nokia E7, um Galaxy Tab 7″ e um netbook Acer de 11″. Era peso demais. Na segunda cidade (Milão) o netbook deu pau e eu o deixei por lá mesmo. A câmera acabou se revelando grande demais para carregar o dia todo. O Tab só foi usado nas viagens de trem, para jogar Fruit Ninja…. Resumindo, acabei usando mesmo o Nokia E7, com o qual atualizei meu blog de viagem, tirei fotos e acessei internet.
    Agora irei para Nova York e já decidi, vou levar apenas meu Galaxy Note. Chega de carregar peso à toa.

      1. Obrigado.
        As fotos que postei no Tumblr a maioria foi com o celular mesmo, já que fiquei sem o netbook para poder upar as da minha câmera. Ainda bem que a câmera do Nokia E7 é bem boa.

  2. Rodrigo, mudando de assunto…

    Ultimamente tenho usado Ubuntu e vi um tremendo ganho na autonomia da bateria em relação ao Win7.

    Que tal você fazer um teste pra gente?

    1. @Dario eu também utilizo o Ubuntu em meu notebook e o ganho com a duração da bateria é bastante considerável.
      Creio que como o Rodrigo utiliza o MAC OS, não conseguirá realizar teste com o Ubuntu.

      1. Será que no Mac o Ubuntu pode ser instalado no bootcamp? Pode ser uma saída para fazer o teste! Um abraço!

    2. Fala Dario! Vou precisar estudar um pouco antes de fazer este teste, pois usei poucas vezes este sistema até hoje. Quanto ganhou de tempo? Um abraço!

  3. “Eu até consigo rodar sites em flash no iPad 2, mas o resultado é muito lento e ruim”.
    Um dos grandes motivos que desisti do iPad 2 que tinha era esse, coisa simples de fazer que é navegar em flash, e assitir videos em outros formatos que não seja o quicktime era uma tortura, precisando de macetes. Não entendo até hj como o iPad faz tanto sucesso com essas limitações vergonhosas. Esto pensando em adquirir um novo tablet no futuro, mais com certeza será ou android ou Win 8 caso ele não tenha essas limitações também.

    1. A Adobe oficialmente vai deixar de dar suporte ao Flash para dispositivos móveis, portanto o mais certo é que a maioria dos vídeos que vejamos no futuro já sejam em HTML5. Aliás eu já configurei minha conta do You Tube para apresentar (mesmo no PC) preferencialmente em HTML5. Também tenho Flash bloqueado por definição no Chrome. Só libero por demanda.

  4. Rubens a limitação do Ipad fica em sites feitos em Flash e só.

    Em relação a videos posso dizer que 95% dos sites rodam vídeos usando motor html5 – Globo, Uol, Youtube, Terra e outros menos recomendados – sem macetes e com desempenho muito melhor que o flash rodando num Macbook por exemplo.

    Assistir videos em formatos diferentes do padrão Apple não é problema, pois existem muitos players gratuitos que suprem essa necessidade.

    Não é uma questão de macete, mas sim de adequação.

    O unico tablet que gostaria de ter além de um iPad era o primeiro Samsung Galaxy Tablet, por fazer ligações e por ter TV digital.

    1. Vinicius, se não é nativo, é macete. Eu quanto tinha um iPad rodava todos os formatos de videos, mais tinha que abrir o itunes (eca) e importar para dentro da pasta do programa, dando mais trabalho. Quanto as sites, agora eles estão se adequando, mais antes não. Então é muito melhor na minha opinão ter um tablet que roda tudo de forma nativa e natural e ainda com um melhor custo benefício. Na ultima viagem que fui aos Estados Unidos, eu testei diversos tablets nas lojas, porque lá existem muitos modelos, nem olhei para o iPad porque já tinha tido um, gostei muito do custo benefício do Asus Transformers. Ah tinha esquecido, se vc quiser usar HDMI, cartão de memória de maquina digital, pendrives, só comprando acessórios da apple próprios para a finalidade…

  5. Bem Rubens eu até entendo seu pto de vista sobre um equipamento que saia da caixa pronto pra ser usado. Mas olhando pelo lado da Apple o iPad não precisa disso pois tudo que você precisa está no iTunes Store, filmes em formato nativo, musicas aos montes, sem conectar um cabo! (palmas) e claro, pagando por tudo isso – e ai entra o pto onde acredito que vamos concordar – existem opções mais baratas e conteúdos que não estão lá. Nesse caso concordo que o iPad apanha pra qualquer concorrente: expansibilidade, que no caso percebo que um tablet pra suas necessidades deve ser como substituto de um PC e não como extensão (que é como vejo o iPad).

    Alias sobre hdmi, entradas pra SDHC e tal tem uma razão peculiar pra Apple não colocar: royalties – lembro uma reportagem onde mencionavam algo proximo de 1 dólar pra cada porta usb usada num dispositivo, 3 dolares pra um blue-ray. Colocando isso num produto que vende na casa dos milhoes já viu o por que da Apple adorar formatos proprietários.

    1. Olá Vinicus, vc realmente está certo, a Apple amarra tudo para ser consumido dentro de seu portal particular que é o itunes, mais infelizmente para a grande maioria dos brasileiros tudo é muito caro. Agora, em relação a tirar da caixa e sair usando, bom não ligo para isso, pois sou um usuário avançado e gosto de correr atras e resolver tudo, tanto que no meu iPad resolvi boa parte dos problemas, tipo usava o brower Puffin que aceitava Flash, tinha programas de videos que rodavam qualquer codec e por aí vai. Só que percebi que para um equipamento destinado mais que exclusivamente a consumir conteudo era caro, e tudo o que adicionasse fosse comprado, por isso achei outros tablets mais interessantes. Realmento gosto muito de PCs e smartphones mais do que Notebooks e tablets, mais vejo que a Apple está perdendo mercado, ou poderia ter um mercado muito maior se facilitasse mais as coisas..

  6. Olá a todos, acompanho este site a algum tempo e sempre tem informações relevantes. Aproveitando este tema, gostaria de saber de vocês e do Rodrigo o que estão achando desta nova onda que é o ultrabook? Já tiveram alguma experiência? Qual a opinião de vocês? Rodrigo, poderia fazer um tópico sobre este assunto?

    1. Oi Sandro, vou tentar pedir um para a HP para testes!! Acho muito legal ter este tipo de opção e acredito que será uma boa tendência para os próximos anos! Um abraço!

      1. Olá Rodrigo, se tiver como testar o da Hp, Asus e Acer seria um bom comparativo. Devem chegar novos modelos com os novos processadores da Intel. Abraços.

      2. Boa Sandro, vou tentar o contato com os fabricantes para ver se consigo testar! Um abraço!

    1. Com certeza seria uma boa opção! Só estou esperando pelos novos modelos para decidir qual equipamento comprar! Um abraço!

    1. É o pior tablet da Asus não recoemndo em 7 dias eu devolvi o aparelho pra loja horrivel… Vai de Tab 2 ou mesmo o novo da Asus

    2. É um bom tablet para quem precisa digitar longos textos, mas ainda gostaria de testar para poder falar um pouco mais sobre o aparelho. Um abraço!

  7. Os notebooks nunca conseguiram substituir completamente os desktops, da mesma forma os tablets não substituirão completamente os PC’s.
    O tablet é uma excelente ferramenta de consumo de informação, mas não de produção dela (embora tenha alguma utilidade os softwares de edição de imagem e de produção musical e jogos).
    Após a febre dos tablets as pessoas vão tomar uma consciência de sua real utilidade e comprar somente quando precisarem.
    Particularmente uso mais o celular do que meu iPad.

  8. Eu acredito que o que irá determinar qual a ferramenta ideal para utilizar no dia da dia é o uso.
    Para o meu perfil de uso, aposentei para sempre o desktop. Na mesa somente o notebook (com ubuntu). Para ir para a rua uso o iPad 2 com case com teclado bluetooth e o meu Milestone 2, e consigo me resolver, em casa somente o netbook (este em dual boot windows 7 – somente por conta da itunes – e ubuntu).
    O meu perfil de uso é 60% pacote office (texto e planilha), 20% visualização de emails, e 20% navegação.
    Portanto, para o meu perfil o iPad 2 para utilizar na rua resolve, pois posso utilizar o processador de texto e fazer as planilhas quando necessário (quickoffice pro hd), para adiantar qualquer trabalho, para posteriormente finalizá-lo no notebook.
    Antes andava com o netbook, mas a autonomia é ruim, enquanto no iPad 2 são 10 horas, e isso faz diferença, pois querendo ou não é um dia de trabalho.

    1. Tem razão Clayton! No meu caso o que me complicou foram alguns sites com flash que preciso acessar nas visitas aos clientes e a necessidade de instalação de aplicativos em celulares, que com um tablet não é possível. Um abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.