Sustentabilidade e gadgets

Há alguns dias estava conversando com alguns amigos sobre sustentabilidade e o nosso hábito de adquirir novos gadgets como notebooks e smartphones com uma frequência um pouco maior o que a desejada, o que além de consumir  recursos financeiros acaba colocando uma quantidade muito grande de equipamentos nas ruas todos os anos.

Por um lado vejo que a maior parte das empresas procura adotar uma postura “verde”, amiga do meio ambiente e dos consumidores, mas em muitos casos o que observamos são gadgets ficando obsoletos em prazos inferiores a 12 meses! Celulares e notebooks considerados como top de linha de hoje em alguns meses se parecem com verdadeiras carroças, sem o suporte para novas atualizações, que quando são liberadas demoram uma eternidade para chegar ao Brasil, ou quando são atualizados ficam muito lentos e com um desempenho muito abaixo do esperado.

Existem inúmeros casos de celulares com Android com boas configurações esquecidos pelos fabricantes com versões desatualizadas dos sistemas operacionais, iPhones mais antigos com limitações de compatibilidade com novos recursos e Notebooks com dois anos de uso com problemas de desempenho, como é o caso do meu Macbook Pro de 13 polegadas, que mesmo com 8GB de RAM e um HD híbrido de 500GB sente falta de um novo processador.

A questão é que nos últimos tempos, seja nos Notebooks, desktops ou smartphones, nenhum sistema operacional ou aplicativo deu um salto tão grande que justificasse a necessidade de hardwares tão pesados e poderosos, nada mudou tanto assim para que os gadgets com 1 ou 2 anos de uso ficassem tão obsoletos em pouco tempo.

Tenho um amigo que tem o costume de comprar sempre o celular ou Notebook mais caro e completo disponível, pois deste modo ele acredita que é possível permanecer o dobro do tempo com o mesmo aparelho, o que sem dúvida alguma faz sentido, mas infelizmente acabamos esbarrando na barreira dos altos preços praticados no Brasil.

Está cada dia mais difícil ter uma atitude sustentável com relação aos gadgets necessários para o nosso trabalho, pois acabamos sempre com uma grande dúvida, gastar muito dinheiro para tentar permanecer por mais de 2 ou 3 anos com o mesmo equipamento ou investir menos e precisar trocar o equipamento em pouco tempo?

Seja qual for o caminho escolhido, no meu ponto de vista nenhum caminho é exatamente o que podemos considerar como sustentável, deste modo acredito que nos resta a busca por melhores preços em um equipamento top que está no meio do caminho de sua vida no mercado, ou ainda no momento do anúncio de novos modelos, o que em muitos casos pode ser uma decisão acertada. Agora vou procurar seguir algumas pequenas regras para compras de novos de gadgets, que incluem fugir dos lançamentos, buscar promoções entre os aparelhos mais caros que já estão no mercado há algum tempo, e se for o caso mudar sem nenhuma pena de sistema operacional para tentar encontrar o melhor custo x benefício.

Uma atitude sustentável deve sempre procurar o caminho de preservação do meio ambiente e também dos recursos financeiros, que devem ser utilizados com consciência e da forma mais correta possível, evitando compras por impulso ou de equipamentos que não suportam upgrades, seja de hardware ou software.

27 comentários em “Sustentabilidade e gadgets

  1. Rodrigo, as vezes me pergunto se as pessoas não pensam nisso antes de trocar tão rapidamente seus gadgets. Como se pode falar em sustentabilidade se todos trocam seus aparelhos ao menor sinal de lançamento ?. Estou com um N8 há mais de um ano e só vou trocá-lo quando o S III tiver alguma redução no preço, não aceito pagar algo em torno de R$ 1.900,00 em um celular, cuido bem do meu dinheiro, e acho que todos deveriam fazer a mesma coisa, principalmente agora com crise na Europa e pib brasileiro capengando, pensem bem antes de fazer qualquer aquisição.

    1. Exatamente o que eu penso BDFBRUNODEFIGUEREDO, acho que devemos antes de mais nada cuidar um pouco melhor do nosso dinheiro, comprando aparelhos de qualidade e feitos para durar!! Uma hora acaba a festa aqui no Brasil também, então é bom gastar o dinheiro com muito cuidado!! Um abraço!!

  2. Gozado, quando era criança sempre ouvia falar no consumismo americano, de como eles “poluíam” o meio ambiente, a geração de lixo e tal, mas olha no que nos transformamos. Eu mesmo tive parando para pensar e vejo todo o dinheiro que gastei com smartphones esses últimos anos. Um absurdo! Agora parei. Pode lançar Galaxy Slll, SlV, SV…S1000..só vou trocar de telefone caso seja roubado ou o que estou agora, um LG Optimus 3D, quando ele se desmanchar. Precisamos parar de querer estar na vanguarda tecnológica, pois isso não presta. Só leva ao consumismo desenfreado e irresponsável. AS empresas não fazem nenhum favor para nós….só criam e criam coisas “pseudo-novas” para que a gente vá lá e compre. Que se dane se o android está desatualizado, que se dane se o processador não é de última geração. Com o dinheiro gasto com telefones, eu podia ter feito inúmeras viagens, feito cursos, feito coisas bem mais úteis.

  3. É uma questão bem complicada, pois caso você fique com gadget por um bom periodo o seu preço de revenda desvaloriza muito, por exemplo, tinha um GS2 vendi por R$1.300,00 e comprei um HTC One X usado por R$1.400,00, no outro caso tinha um Macbook Pro 2007 e vendi em 2011 por um preço bem abaixo do esperado. Em relação aos computadores vale a pena comprar um com um ótimo processador e rezar para não dar defeito e ficar com ele no máximo uns quatro anos trocando o necessário, já smartphone prefiro trocar todo ano ou no máximo ficando com ele durante dois.

  4. Concordo BDFBRUNODEFIGUEREDO e Diego Cardozo, hoje a economia do Brasil comparada com a Européia está a menos pior, isso não significa que está as mil maravilhas. Nós nunca pagamos tantos impostos quanto pagamos agora.
    Eu por exemplo estou com um Milestone 2, e não vou me desfazer do celular, simplesmente porque não compensa, até porque nem uso todas as ferramentas que o smartphone me disponibiliza. E querer acompanhar a industria é um suicídio financeiro, pois hoje você compra um iPhone 4S e ano que vem a Apple vem e diz hoje vamos mostrar uma coisa mágica o iPhone 5, e você compra e em 1 ou 2 anos já sai outro smartphone mais mágico ainda. O mesmo se diga dos androids a cada ano há um sabor novo para o android, e com ele novos hardwares, pois as fabricantes dizem que o hardware não suporta. Estão saindo celulares quadcores e eles não suportam os novos S.Os e apps? Sinto muito, mas é um celular, e ele precisa primeiramente funcionar como tal, depois ter uma conexão com a internet (3g e que funcione), camera, filmadora, toque músicas e para mim já é o suficiente. Agora quanto aos apps eles devem ser menores e não exigirem tantos recursos dos celulares, até porque daqui a alguns anos se tudo for por esse caminho teremos que andar com uma mini usina nuclear no bolso, porque não haverá recursos e nem energia suficiente para movimentarem a sede dos apps e celulares.
    Hoje estou preferindo atribuir novas funções as coisas.
    Não tenho smart tv, e ao invés de comprar uma e gastar R$ 3 mil, preferi comprar uma apple tv e assistir netflix na sala da mesma forma.
    Eu recentemente adquiri uma tv lg 3d (também não é o modelo smart tv, mas está conectada ao ps3 e vejo netflix normalmente também), mas depois de adquirir fiquei pensando porque simplesmente não lançam algum tipo de conversor para receber o sinal e transformá-lo em 3d, até porque o plasma, ou o lcd ou o led das telas é igual, o que falta é o conversor 3d.
    Não está faltando tecnologia, o que está faltando é uma forma de adaptarmos a tecnologia existente aos equipamentos mais antigos, e acho que essa crise mundial vai ajudar, pois é justamente nos momentos de crise que as pessoas começam colocar em prática a criatividade.
    Está ai o Raspberry Pi ou o Cotton Candy sendo lançados, não serão eles uma excelente solução para smart tvs? Ou podemos imaginar que serão o futuro da computação pessoal móvel, onde poderemos andar com nosso computador pessoal no bolso e ao conecta-los a periféricos teremos um computador com novos recursos. Alguém que trabalha com processamento de imagens e audio poderá dizer que o processamento do Raspberry e Cotton Candy é baixo, e é, mas para isso a indústria poderá lançar periféricos, tipo uma placa de vídeo com um processador imbutido que será responsável pelo processamento mais pesado. E ai não teremos tanto lixo digital, ou tanta obsolescencia programada assim.
    Precisamos de pessoas que pensem mais em solucionar os problemas de formar mais simples e aproveitando o que se tem, do que novos produtos.

  5. Rodrigo, eu concordo inteiramente com seu post e acrescento que a obsolescencia programada e o estimulo de consumo são pilares que suportam esse modelo não sustentavel e irracional. Cada vez mais a grande mídia e a publicidade, financiada pelas multinacionais, tenta nos empurrar goela abaixo que (quase) tudo em nossas vidas, desde os produtos( que compramos com enorme sacrificios) até as sensações e os sentimentos, são descartáveis e fugazes , num círculo vicioso de consumo e espetaculo, tentando criar necessidades artificiais.

    1. Acho que precisamos ter muito cuidado com as trocas de equipamentos, esperando sempre para fazer uma nova compra no caso de uma real necessidade como quebra, defeito ou uma perda realmente justificável de performance. Desta maneira com certeza devemos reduzir no mínimo pela metade nossas necessidades de compra. Um abraço!

  6. Rodrigo,
    Tu falou tudo cara.
    Apesar das companhias dizerem adotar práticas sustentáveis, a pior atitude que elas possuem, e que contradizem a si mesmas, é carregar a sociedade com toneladas de produtos que possuem uma vida útil menor que 1 ano. As vezes menor que 6 meses. E com pequenas melhorias que não justificam em nada essa “nova atualização”. Infelizmente, esse é o capitalismo selvagem que estamos vivendo. Porém, a pior atitude, acredito, é de quem alimenta isso. Que somos nós mesmos. Quando tivermos a consciência de utilizar APENAS o que precisamos, talvez assim conseguiremos dar uma freada nesse negócio e ajudar nosso planeta.
    Achei muito boa a postura que voce está adotando em relação a compra de novos equipamentos.

    Parabéns pelo blog!

    Abraço.
    Diego Soares

    1. É verdade Diego! Agora vou procurar sempre por promoções de tops de linha para conseguir bons preços e aparelhos que certamente vão durar um tempo maior nas minhas mãos. Muito obrigado por acompanhar o blog!

      Um abraço!

  7. Como mais um feliz proprietário de N8, pretendo mantê-lo até se tornar realmente obsoleto.

    É verdade que dou umas paqueradas com um galaxy S3 ou ipad, mas minhas reais necessidades não justificam o preço da troca.

    Fui comprar um celular para minha esposa e ela ficou entre os Nokias 710 (R$ 900, windows) e 701 (R$ 500, symbian, com NFC). Ela preferiu o segundo, por ser parecido com o meu já conhecido N8, e porque os vídeos sobre os winphones mostravam apenas transições de tela. Na loja da Nokia, o máximo que o atendente fez foi mudar a cor dos tiles…

    Resumindo: Tenho uma combinação de telefones compatíveis entre si (carregadores normal e veicular, cabos, receptor de TV que veio com o 701, GPS, USB OTG), sem frescura para interagir com computador ou TV via USB;
    O N8 fica para fotos (lentes Carl Zeiss e flash xenon) e assistir filmes via HDMI ou RCA, o 701 fica para filmagens (o processador de 1GHz não engasga) durante o dia (tela clear back) ou à noite (duplo led ligado direto).
    Os aplicativos symbian me servem muito bem, tendo em vista que é o hardware da Nokia quem mais me interessa.
    Será que tudo isso não atende minhas necessidades?

    Só para terminar: Estava em uma apresentação cultural quando vi um cara filmando com um IPAD (acho que ele chamava mais a atenção que o espetáculo). Só de sacanagem fiquei com o 701 do lado dele, filmando com o “farol” led ligado, e minha esposa tirando fotos com o N8 e o xenon disparando no escuro.
    Numa hora dessas, não há aplicativo que salve a situação.

    1. É verdade, você está com uma bela dupla de aparelhos, e acho que só vale a pena você trocar o N8 pelo Pure View. Um abraço!

      1. E provavelmente Pure View + Windows, quando o sistema estiver realmente maduro, e quando o preço realmente justificar a necessidade!

  8. Com esta atitude os fabricantes nos forçam a comprar um produto mais atualizado e descartar um produto “ainda novo” no lixo .
    O custo de tratamento e reciclagem de um aparelho eletrônico , seja um Smartphone ou uma TV , é alto .
    Á partir de 2014 , um determinado grupo de fabricantes terá de ter um sistema de coleta dos equipamentos e produtos descartados , e o reuso dos resíduos gerados .
    Um equipamento eletrônico gera uma quantidade diversa de resíduos , desde o plastico da carcaça ( ABS-Acrilonitrila butadieno estireno , que pode ser 100% reciclado e reinserido na linha de produção ) , metais baratos ( ferro e alumínio ) e mais caros , como ouro , prata , platina e paládio . Sem contar as baterias , com os metais pesados níquel e cadmio , que se chegarem ao nosso organismo são cancerígenos .

    1. O negócio é procurar sempre doar os aparelhos para quem precisa ou buscar alternativas de reciclagem, além de reduzir as trocas de equipamentos constantes! Um abraço Sandro!!

  9. Eu tô indignado com a morte do meu Ipad1. Eu só tenho ele a 18 meses e quando comprei ele nem era vendido no Brasil. Ela tá novinho, sem riscos e com bateria durando como nova. Agora a apple me obriga a comprar um novo, caso contrário vou ficar parado no IOS5. Sem contar que não perdemos só o equipamento, a capa dele não serve no outro e também custa uma fortuna. E se esperar baixar de preço, ai vc compra uma IPad2 e ele logo depois pode ser descontinuado pq já vai estar velho. Eu não tenho dinheiro para comprar um Ipad novo a cada 2 anos. Chega de restrições do OSX que não atualiza se não for Core2Duo. Quer saber, vou voltar para Microsoft. Tenho computadores de 2003 que funcionam perfeitamente até hj e não tem nada que eles não façam. Meu próximo tablet vai ser com Windows 8.

    1. Eu também Renato! Tenho um iPad 1 que está com a esposa e um 2 que ficou comigo e acho pouco tempo para matar um aparelho deixando o mesmo sem atualizações. Se colocar o Windows no Mac ele ainda deve rodar bem por muito tempo!!! Um abraço!

  10. Todos nós, amantes de tecnologia, temos impulsos consumistas muito exacerbados. Só um exemplo: Como vou para os EUA no mês que vem fiquei tentado em trazer de lá uma placa de vídeo Nvidia GTX 680, que custa a metade do preço que se cobra aqui. Mas acontece que eu nem jogo mais no meu PC, e essa placa ficaria totalmente subutilizada. Ou seja, a gente acaba tendo compulsões consumistas até de produtos que nem precisamos.

    1. Como diria Tyler Durden: “Temos empregos que odiamos para comprar merdas que não precisamos” e “As coisas que você possui, acabam possuindo você.”

    2. O pior é que isso acontece muito! Há muito tempo eu passei a compraras coisas somente após uns dez dias de pesquisas, e isso acabou com as minhas compras por impulso. Normalmente a vontade acaba passando em 10 ou 15 dias! Um abraço!! 😉

  11. Pessoal calma!!

    Quero que fique bem claro que se pensássemos sempre assim não teríamos celulares hoje, na verdade talvez ainda vivéssemos em cabanas. Temos de falar em DESENVOLVIMENTO sustentável e não do FIM do consumo. Consumir é bom, mas da forma correta. Acredito que a evolução tecnológica é ótima, mas eu particularmente tenho um ritmo de consumo que muitos taxam de retardado. Exemplo: Comprei um n95 em 2009 e só me desfiz dele para comprar um n8 em 2011. Não tenho qualquer prazo para me desfazer do meu EXCELENTE celular (só puto pela falta de jogos).

    Estou certo de comprar um optimus 4x ou um galaxy sIII, mas isso em não menos de um ano, então por lógica troco de celular entre 2 e 3 anos comprando ótimos aparelhos que já estão com preços mais acessíveis. Meu PC comprei em 2006 e apenas troco as peças que queimam porque não tenho nenhum interesse em comprar um puto PC que não vou usar devido meu pouco tempo livre. Minha net é de 1mb e meus planos telefonicos os mais simples possíveis. Tv por assinatura? Nem pensar! Pra que se ninguém na minha ksa usa? Todo mundo ou aluga filme (santo netflix) ou usa net se não assiste a Globo mesmo e pronto.

    Enfim não é dando lição de moral, mas acho que quem tem grana deve gastar mesmo e o consumo deve ser estimulado, mas derrubando barreiras de acessibilidade aos preços dos produtos e cada um ponderando bem o quanto vale seu dinheiro. Lembrem que o maldito dinheiro é fruto do seu trabalho e trabalho é uma parte da sua vida que você vende para ter dinheiro.

    Então literalmente você está vendendo sua vida para comprar esses produtos. A pergunta é… vale a pena? Apenas “vendo” minha vida para comprar bons momentos e ferramentas que me ajudam a viver melhor. As complicações da vida moderna devem nos ajudar e não atrapalhar. Nesse contexto acabei com myspace, orkut, mau uso msn ou facebook. Estou tentando priorizar as relações físicas com as pessoas ao meu redor pq vejo que estamos cada vez mais distantes devido a tecnologia que nos une… Puto paradoxo não?

    1. Assino embaixo, wellington.
      Como é próprio da natureza humana, temos a tendência de assimilarmos o comportamento do grupo em que estamos, às vezes nos esquecendo de nossas preferências pessoais para sermos mais aceitos e valorizados.
      Aí entra o culto ao consumismo como forma de obter status.
      Não precisamos mencionar certos gadgets cuja posse parece dar um “upgrade” na classe social. Se a tecnologia empregada neles é efetivamente utilizada, aí é só um mero detalhe.
      São poucos os dispostos a remar contra a maré, e ainda menos os que respeitam opiniões diversas.
      Aí estão os diversos fóruns de tecnologia, divididos em “haters” e “lovers”, que não me deixam mentir.

      1. Acho que o ponto é exatamente a real necessidade do upgrade. Hoje eu espero ter realmente um gargalo de hardware para justificar a troca de equipamento, e acredito que se estiver rodando bem e atendendo as necessidades, não há motivo para fazer a substituição. Um abraço!!

  12. Acredito que nós consumidores contribuimos muito pra isso continuar como está. Nem sempre a falta de atualização de um SO torna um aparelho obsoleto. Meu SII foi atualizado do Android 2.3 para o 4 e o que mudou? Nada. Continua um ótimo aparelho e só troco ele com pelo menos 2 anos de uso como sempre fiz com outros aparelhos. Notebook tem q durar pelo menos 3 anos comigo.
    Não precisamos exagerar e botar lenha nessa fogueira do consumismo, pq é isso q os fabricantes querem…rs

  13. Aproveitando o mote da sustentabilidade e gadgets, me ofereceram um teclado wirelless que funciona no N8 via USB OTG, mas o telefone não reconhece todas as teclas multimídia e ABNT2.

    Há alguma forma de tornar os dois compativeis?

    Alguém com windowsphone já tentou fazer isto?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.