Surface: Tablet da Microsoft

A Microsoft finalmente apresentou um novo produto muito interessante, um tablet com 9,3mm de espessura, uma borda inclinada em 22º, uma carcaça de magnésio com 680g, uma tela com 10,6″ polegadas, uma porta USB 2.0 e uma porta HDMI, tudo isso rodando o sistema operacional Windows 8 nas versões RT para processadores ARM e uma comum para x86.

Segundo o Gizmodo a versão para x86 desenvolvida para processadores Intel é um pouco mais grossa (14mm) e pesada (907g), mas tem tela com maior resolução chamada ClearType e roda apps antigos, sendo considerado um modelo voltado para profissionais. Ainda não existe uma data certa de lançamento, mas a empresa informou que o modelo mais simples chega em quatro meses, enquanto a profissional chega um pouco mais tarde.

O conceito é realmente muito interessante, sendo que se a Microsoft incluir uma bateria de longa duração e uma placa de vídeo capaz de rodar games mais pesados, pela primeira vez a Apple enfrentará um competidor com reais condições de ganhar o mercado do iPad, que domina com grande folga o mercado de tablets.

Para quem busca um tablet para o trabalho, o Surface da Microsoft é sem dúvida alguma a melhor escolha, mas ao menos em um primeiro momento, para quem busca diversão o iPad ainda deve continuar com uma larga vantagem por mais algum tempo, seja por conta da grande quantidade de games disponíveis para download, ou pelo baixo custo e facilidade de download e compra.

De qualquer forma eu não vejo a hora de poder testar este novo aparelho da Microsoft!!

40 comentários em “Surface: Tablet da Microsoft

  1. Nossa, eu tbm fiquei meio abobalhado, confesso. A um tempo atraz em um post seu, comentei que não via justificativa para gastar uns R$1,600 em um tablet, pois eu só iria consumir conteúdo e não produzir como produzo em um note. Mas, depois desse lançamento posso dizer que esse conceito de consumir conteúdo pode mudar e muito. Sei que talvez eu não possa instalar o Visual Studio, Netbeans e a Suite Adobe CS4 em um tablet desses, mas, um deles vou poder…..

    Gostei do que vi, a muito tempo não vejo a Microsoft inovando!!!!

    1. Também gostei do aparelho, mas eu gostaria mesmo de ver um destes substituindo com folga um Notebook, inclusive no armazenamento de informações, para poder trocar todos os aparelhos por uma única opção que seja competente como tablet e notebook de alto desempenho! Vamos esperar para ver! Um abs!

  2. Quando você se refere ao surface como melhor para o trabalho, imagino que você esteja falando do x86, correto?

    Pq não vejo o x86 como um concorrente direto para os demais tablets, logo, também não vejo motivos para achar que o RT está mais propicio ao trabalho que o iPad.

    Mas, no geral, gostei muito. Enfim, algo diferente!

    1. Penso na versão mais pró, sempre comparando com o meu iPad no meu cenário de uso, onde ainda enfrento algumas dificuldades com o iPad em tarefas que no computador são concluídas de forma mais veloz. Enfim uma novidade no mercado, o que é realmente bom!! Um Abs!

      1. Não se pode comparar o Suface Pro com os tablets com ARM, Rodrigo. Ele é um ultrabook sem teclado físico, com um preço correspondente. Agora se o Surface RT fosse ligeiramente mais barato que o iPad (nem que fossem US$ 50) e o Surface Pro apenas um pouco mais caro (por volta dos US$ 100-150 a mais) o iPad iria para o saco! Da maneira que a Microsoft colocou o patamar de preços, o Suface RT será apenas mais um tablet, que correrá uma versão intermediária entre o Windows Phone e o Windows 8, e o Pro será uma concorrente dos ultrabooks e do Mac Book Air.

      2. Acredito que este seja o mercado dele mesmo Alessandro. De qualquer forma vamos aguardar a resposta do mercado!! Um abs!

  3. Gostei bastante mesmo mostrando pouca coisa sobre o aparelho.. detalhes do cotidiano como bateria, entrada para cartão de memória e pendrive…. Por ser o Windows 8 acho que em um futuro próximo poderei trocar meu desktop por um tablet da Microsoft para trabalho cotidiano. Uso de programas que infelizmente não foram portados para o Mac como Corel Draw. E mesmo se fosse, o iOS não tem a versatilidade do Windows 8. Espero que eles não dificultem a adição de arquivos com um simples pendrive 😉

    1. Também torço para que o aparelho apresente uma experiência completa e seja um substituto de uma boa máquina em um futuro não muito distante!! Um abs!

  4. O anuncio da Microsoft traz poucos detalhes. Acredito que a versão com x86 não será concorrente do iPad (por questão do peso, tamanho e duração da bateria). Já a versão com o ARM, depende de vários fatores, talvez o principal é saber se o Windows 8 rodará bem em um ARM.

    1. Acho que o tamanho e peso pode até ser tolerado desde que tenha funcionalidade que realmente faça a diferença. Ainda vejo o aparelho mais focado para o trabalho mais pesado, que em algumas ocasiões pode ficar um pouco mais lento no iPad. Quem faz a edição de imagens para publicação de posts em blogs sabe do que estou falando! No iPad algumas tarefas podem ser feitas, mas o tempo gasto é superior ao utilizado no Notebook, e deste modo acaba ficando mais fácil trabalhar com um computador. De qualquer forma é muito bom ver concorrência, pois é isso que faz as empresas criarem novidades! Um abs!

    2. Pelo o que se sabe Márcio será um Windows “híbrido”, não rodando os programas “de verdade”, apenas apps desenvolvidas para tablets.

  5. Quanto ao aparelho, espero que realmente preencha a lacuna aberta entre pc / tablet, nos quesitos hardware / software. Finalmente comecei a cogitar a compra de um equipamento assim.

    Quanto à discussão em torno do equipamento, espero que o nível dos comentários neste site mantenha sempre este nível, pois desisti de acompanhar pelo gizmodo devido à briga entre lovers / haters, que em nada contribuem à discussão em si.

    1. Concordo com você, e também espero que as coisas permaneçam bem aqui nos comentários! Nesta nova fase do blog o nível dos comentários subiu muito e as conversas estão mais interessantes, e quero manter este bom nível sempre!! Um abraço!

  6. Chegou o tablet que tava esperando.. um que realmente seja útil para o meu perfil, pois o iPad 2 que tinha para mim era apenas um brinquedinho caro, por isso vendi.

    1. Ainda gosto do iPad, mas para o meu uso ele se encaixa mais para a leitura, consumo de conteúdo e games! Ainda prefiro ler alguns feeds e redes sociais em sua tela antes de dormir!! Agora é torcer para a Microsoft acertar a mão nestes novos aparelhos!! Um abraço!

  7. Olha não sou fanboy da Apple, mas não vejo a Microsoft ameaçar nem em Smartphone e muito menos em Tablet a Apple, a não ser que a Apple pare no tempo que com certeza não será o caso.

    1. Alessandre, para mim a Apple já parou no tempo, inovou com o iPhone em 2007, mais usando um SO que já vinha do iPod Touch, de lá para cá, pouca coisa mudou e as grandes mudanças formam basicamente cópias dos outros SO móveis. Lançou o iPad e idem, o que teve mesmo foi incremento de hardware, mais o design é o mesmo faz tempo, e a integração dele com outros iDevices é precária ainda ao meu ver e nisso a Microsoft mesmo entrando tarde no jogo já sai na frente, teoricamente a integração entre Smart, tablet e PCs já vai ser bem completa, e na minha opinião é isso ainda que falta no mundo tablet para ele realmente deixar de ser um brinquedo, ou consumidor de conteúdo para se uma ferramente de trabalho para a grande maioria que os possui. Não sou fanboy de ninguém, sou da tecnologia, tanto que comecei com Symbian, fui para iOS, agora estou com Android e pretendo migrar em breve apra WP8.

      1. Como usuário de um iPhone 4 e um iPad 1, concordo inteiramente com você, @rubenspn. Não vi nenhum motivo para trocar os meus dispositivos pelos novos lançamentos, e nem será a descontinuidade de atualização do iPad 1 que me fará mudar de ideia.

    2. Oi Alexandre! Acho que tudo depende das necessidades específicas de cada pessoa, e pode ser que o aparelho até encontre um nicho de mercado que hoje é ocupado por outros equipamentos como notebooks. Ainda não vejo como concorrente direto, e sim mais uma excelente opção. Um abraço!

  8. Rodrigo e demais,

    Realmente o hardware e o conceito apresentado pela M$ surpreendeu-me positivamente.
    No entanto, lembro que outros fabricantes também já apresentaram iPad killers tão bons quanto o próprio, no entanto esbarraram num pequeno grande detalhe: Preço.
    Em suma: Entre pagar 500 dólares em um Samsung Galaxy Tab, Asus Transformer ou o que seja, o consumidor já deixou bem claro que prefere pagar o mesmo valor em um iPad. Ou seja, por melhor que seja a proposta da M$, se não tiver preço inferior ao iPad, pode até não vir a ser um fracasso, mas também não tirará o iPAD da dianteira que sempre esteve.

  9. Esse Surface promete. Eu acho que o modelo com Windows RT o mais interessante. A MS irá portar o Office e acredito que as empresas adaptarão seus programas para rodar no chip ARM. Quem sabe não lancem um tipo de dock para usar o Surface com teclado, mouse e monitor grandes?
    Mas o mais legal de tudo, na minha opinião, foi a capinha que é teclado. Uma grande sacada da Microsoft.
    Creio que o mercado mudará muito com a entrada do Surface. A Apple perderá grande parte do mercado e ficará espremida entre os tablets com Windows e os Android de 7 polegadas que serão bem mais baratos.

    1. Concordo contigo em tudo Rainor, menos com uma coisa:
      Se não tiver preço esse Surface, não toma mercado algum do iPad. Anotem o que eu estou dizendo.
      Por outro lado, se custar uns 20-40% mais barato que o iPad similar, aí sim se torna uma verdadeira ameaça.
      Vejam o que aconteceu com o tablet da HP, quando ela despencou os preços, e mais recentemente com o Blackberry Playbook, cuja versão de 16gb podia ser encontrada no começo do ano nos EUA por 199 dólares ao invés dos 499 originais de lançamento.
      O fato é que o consumidor gosta de tecnologia boa e avançada, mas a grande massa procura aliar esse desejo com um preço razoável. Pra gastar 499 dólares num Surface de entrada, eles preferem gastar a mesma grana num iPad e ponto.

      1. Realmente, se a MS quer ganhar uma parcela significativa do mercado deve apresentar preços agressivos (não ao bolso, é claro).

    2. Acho que precisa funcionar exatamente como um computador, inclusive na compatibilidade de softwares e games para dar certo. Vamos esperar para ver! Um abs!

  10. Prevejo um belo futuro para o Surface, pois hoje lendo um blog que inteiramente dedicado a Apple tinha a reportagem falando dele, e lá é difissílimo ter algo que não é da Apple. Dos mais de 150 comentários a grande maioria (que são formados por fanboys) estava só elogiando o tablet da MS, dizendo que ele realmente parece ser um competidor à altura do iPad e se lamentando, porque a Apple não teve a idéia genial antes de fazer um case com teclado.

  11. Pelo que entendi a proposta do Surface é trazer algo inédito aos consumidores de tecnologia móvel e criar a necessidade de consumo devido a solução que dele será advinda.

    Não tenho dúvidas de que terá a curto prazo um excelente marketshare.

    Porque ter uma solução parcial quando se pode ter uma solução integral e ao mesmo tempo ganhar produtividade? Acho que poderá preencher uma lacuna que em meu caso apenas o Ultrabook pode preencher até então.

  12. E pensar que a um ano atrás eu desejei tablets capazes de desempenhar funções de pc e agora tivemos esta grata surpresa.

    Durante muito tempo eu fui um “desentusiasta da Microsoft”, mas agora eu admito que fico feliz em vê-la trazendo inovações e, ao que parece, estão se dedicando em fazer um bom trabalho com o windows 8, tanto quanto tem feito com o WPhone.

    Vou continuar torcendo para que o padrão de qualidade da Microsoft siga daí para melhor.

    E que venham os tablet-pc’s!!!

    1. Eu ainda estou somente na torcida, mas com muita cautela, pois a concorrência deste aparelho será gigante, e se não chegar ao mercado com um bom preço ele correrá o risco de encalhar nas lojas, mesmo com toda tecnologia embarcada. Vamos esperar para ver! Um abs!

  13. Percebo que chegamos num momento tecnológico em que as pessoas querem a portabilidade, peso e autonomia de um iPad, com a facilidade de produção de conteúdo de um notebook, sem esquecer do poder de processamento.
    Eu me desfiz de todo e qualquer desktop a cerca de 5 a 6 anos atrás, passando a utilizar apenas o Notebook.
    No começo era algo bom, pois a mesa ficava sempre vazia, podia levar todos os programas, arquivos e a minha máquina, em uma bolsa. No entanto, um quesito começou a preponderar, e seu nome era peso.
    E carregar 2,5kg todos os dias começou a parecer algo insano, comecei a me lembrar dos meus tempos de colégio, com vários livros, e cadernos.
    Eis, que chegou a era dos netbooks e me pareceu a salvação! Uma máquina com apenas 1,100 kg era tudo que eu poderia querer. No entanto, novamente me senti frustrado mais uma vez. Pois, os netbooks realmente eram leves, mas suas baterias quando muito, duravam 2 a 4 horas, e para uma maior autonomia deveria se ter outra bateria ou uma de maior capacidade, que era cerca de 40% do valor do netbook (ou mais). E além da autonomia o processador atom da intel, que era muito lento, e demorava para iniciar o netbook.
    Quando surgiu o iPad eu já estava um pouco escaldado com os hardwares que prometiam mobilidade, e só vim adquirir o iPad 2.
    Utilizei o iPad 2 por uma semana, mas percebi que me faltava algo, o teclado, e adquiri uma capa com teclado físico bluetooth, no ML (capa xing ling), e o iPad 2 se mostrou excelente. Digo excelente para o meu uso, e frise-se o meu uso.
    Adquiri o Quickoffice Pro HD, e ele passou a ser o meu pacote office na rua.
    Hoje o notebook ficou no lugar do meu desktop de escritório, o netbook ficou como o meu desktop em casa, e o iPad 2 como o computador que anda comigo para os fóruns, e nos cursos (para os cursos adquiri o notability – perfeito para anotações em cursos, pós e faculdade).
    Nisso eu percebo que para mim, pouco importa a plataforma, se será android, iOS, Windows, ou Linux (ubuntu – Meu S.O nos computadores), o que eu preciso, o que eu quero, é um hardware leve, com autonomia de bateria, que esteja pronto para uso em poucos segundos, e consegui isso com o iPad 2 e case com teclado bluetooth (e case xing ling).
    Creio que uma das propostas da Microsoft é concorrer mesmo com o iPad, mas se os valores forem no mesmo patamar isso irá cair por terra, pois basta a Apple lançar uma smartcover com teclado sensivel ao toque embutido, e irá cair por terra a vantagem do Surface. A Apple não apenas criou a categoria dos Tablets, ela possui o domínio nessa categoria. Pois, qualquer um que tenha utilizado um tablet com android e um tablet com iOS, sabe que o android parece estar inacabado perto do iOS. E não sou fanboy da Apple, inclusive tenho celular android, e tablet android. Mas basicamente deixo meu tablet android para leitura, pois com tela de 7” acho mais facil de segurar para ler (além do que não tenho coragem de tirar o iPad para ler no metrô).
    Portanto, concorrer com o iPad será muito duro para a Microsoft, principalmente se for um produto na mesma faixa de preço, pois como disse, basta uma smartcover com teclado para acabar com a vantagem do Surface.
    Agora com os ultrabooks e notbooks é diferente, se a Microsoft conseguir lançar um aparelho, com peso e dimensões de um tablet, com uma capa que é teclado, com autonomia de 10 horas, com start do S.O em até 5 segundos e com o poder de processamento próximo dos ultrabooks, me atrevo a dizer que a Microsoft irá extinguir os ultrabooks e notbooks antes mesmo de eles alavancarem, e será o maior concorrente ao Macbook Air já lançado. Pois aí sim, ela terá o melhor dos dois mundos, a portabilidade e autonomia de um tablet, e o processamento e facilidade de produção de conteúdo de um ultrabook.
    Caso contrário estaremos vendo novamente mais um “mais do mesmo”, pois ninguém irá deixar de adquirir um iPad para comprar um Tablet Surface por valor superior para fazer o mesmo que um iPad faz, como também ninguém irá deixar de adquirir um ultrabook para adquirir um Surface X86, com processamento muito inferior e valor equivalente. Mas por enquanto tudo não passa de conjecturas, pois enquanto, o Surface não der as caras efetivamente não poderemos avalia-lo de forma correta, e no final das contas quem decidirá isso será o Mercado.

  14. Acho bizarro as pessoas dizerem que o Conceito de Tablet que parece notebook é interessante.

    Se Jobs estivesse vivo e visse o Surface iria dizer: Pra que um trackpad em um tablet com touchscreen? Que Design é esse?

    1. Vamos esperar para ver, mas eu ainda acho que se o preço for elevado o aparelho não conseguirá ganhar mercado de ninguém, nem tablets, nem ultrabooks ou Notebooks. Um abs!

    2. Dário, concordo com vc. Já tive notebooks com touch screen (alias estes notebooks eram chamados de Tablet, antes do iPad). O touch screen com teclado e display no angulo de 45 graus (ou próximo) e inútil, e vc ainda vai precisar de mouse. A Apple notou isto e por isto preferiu melhorar o touchpad, do que introduzir um touch screen no MacBook.
      Outro comentário é que NINGUÉM testou o Windows 8 RT, vejo muita dificuldade, para os desenvolvedores migrarem, seus produtos, para o ARM.
      Antigamente, antes do XP, era muito comum a Microsoft lançar produtos ( que não existia) para segurar, o mercado, esperando por ela. Na epoca, a imprenssa, comecou a chamar isto de vaporware.
      Na minha opinião, lançar 2 Tablets, sem uma especificação mínima é o famoso vaporware.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.