Será que vale a pena trocar de celular, tablet ou notebook?

Hoje eu encontrei no Lifehacker um interessante post que levantava a questão que inspirou o título deste post, que na minha opinião é uma das principais perguntas que devemos fazer antes de comprar um novo gadget.

A cada lançamento de smartphones, tablets ou notebooks eu vejo um grande número de pessoas com um grande interesse em substituir o gadget anterior, geralmente com pouco uso e em excelente estado, o que me leva a pensar no grande desperdício de dinheiro que algumas trocas de aparelhos podem causar para seus proprietários.

Somente para citar alguns exemplos, nos últimos anos os smartphones com os sistemas operacionais Android e o iOS do iPhone / iPad não andam trazendo nenhuma novidade realmente significativa, ainda mais quando avaliamos o uso da maior parte das pessoas, que gira em torno da leitura de emails, Facebook, Twitter, Instagram, navegação ocasional na internet, GPS, câmera e música.

Por mais que seja tentador gastar o suado dinheiro para poder comprar o último lançamento, para mais de 95% das tarefas aparelhos com 1 ou 2 anos de uso dão conta do recado com folga e sem nenhum grande problema, logo não precisamos fazer tantas trocas de gadgets em um tempo tão curto.

Como indica o texto do New York Times no post do Lifehacker, se não está quebrado, não foi roubado ou perdido, não há motivos para comprarmos um equipamento novo, sendo muito mais interessante empregar este dinheiro em algo mais interessante como uma viagem.

Claro que é muito bom trocar de gadgets a cada novo lançamento, mas será que não chegou a hora de cuidarmos um pouco melhor do nosso dinheiro? Acho melhor gastar um pouco mais com aplicativos para dar um pouco mais de vida aos aparelhos do que comprar novos aparelhos com tanta frequência, e o pior, sem novidades que realmente justifiquem a compra.

Via Lifehacker.

13 comentários em “Será que vale a pena trocar de celular, tablet ou notebook?

  1. Você tocou num ponto importante no último parágrafo: aplicativos. Se as pessoas garimpassem com atenção as stores referentes aos seus aparelhos, elas veriam que, o que realmente faz um smartphone são os aplicativos e como eles te beneficiam. Estou com um iPhone 4S há 8 meses e nem me vejo trocando de aparelho tão cedo, pois o iOS 6 está fluido e com todos os recursos (claro os mapas ainda estão a desejar, mas não dependo deles tanto assim), além de a cada dia encontrar um app legal na AppStore.

  2. Ótimo post Rodrigo, é cada vez mais comum ver pessoas gastarem muita $ com celular só para ter poucas novidades.
    Citando especificamente o caso do Android, tenho um GSII e o TouchWiz estava muito sem graça, instalei uma ROM (AOKP) e a diferença é incrível, pois a customização é muito maior e deixou o celular com outra cara.
    Finalizando, o trecho “se não está quebrado, não foi roubado ou perdido” resume bem este assunto, só acrescentaria o detalhe dos telefones não-smartfone (aka feature phone).

  3. Ótimo post. Eu sou fã de tecnologia mas é necessário que as pessoas saibam usar a lógica. O meu aparelho celular não é os melhores, muito pelo contrário, é um aparelho de 400 reais (e só troquei porque 2 chips é algo necessário para mim) de 2 chips que tenho planos contas por questões até mesmo do trabalho. Eu não uso aplicativos nele e muito menos fico enviando mensagem; eu, tradicionalmente, prefiro ligar para meus amigos sempre que quero marcar algo (nem de SMS eu gosto). Eu sou jovem e com condições de ter o último lançamento, mas isso não é o importante pra mim. Coloquei como prioridade viajar. As melhores empresas Samsung e Apple colocam os usúarios em um círculo vicioso. Existirá vendedor melhor do que Steve Jobs e sua forma de vender sensacional?! Que faz acreditarmos que o produto será SIM capaz de nos servir em algo mesmo que não estejamos precisando.

  4. Vamos lá! Eu estou em um nicho dos nichos, digo isso porque eu uso um tablet de 7″ como telefone. Tirando isso, já que o post e sobre a vida dos aparelhos eu posso falar sobre o Android. O meu tablet veio com o Froyo(2.2) e depois de algum tempo saiu atualização para o gingerbread (2.3). E ai acabou o suporte do fabricante de versões atualizadas do android. Como encontrei um entusiasta que participa do xda e faz versões atualizadas para o tablet, eu venho utilizando e ficado surprendido como um equipamento de dois anos tem a cada nova versão ficada mais leve e rápido e expandindo a utilização para aplicativos feitos para tableta ao invés dos aplicativos de celulares normais. Fica claro que os fabricantes não tem nenhum interessem de manterem seus aparelhos além do seu estado inicial, com algumas exceções como os da Google.

  5. Tenho um Galaxy Note há 7 meses… Sou muito satisfeito com o aparelho, mas já estou me preparando para comprar o Galaxy Note 2. Não estou nem aí, sempre consigo vender meu antigo aparelho por um ótimo preço e geralmente compro o novo com excelente preço! Cada um com suas manias né? Por exemplo, a maioria das mulheres têm apenas um par de pés mas compram dezenas de pares de sapato! Ou compram um monte de bolsas caras. E também tem os caras que gastam horrores com carros caros! Tenho um aluno que acabou de comprar uma Mercedes SLK por 230mil… Meu polo 2004 de 17mil me leva para os mesmos lugares! Não tenho a mínima vontade de trocar de carro… Mas de celular troco uma ou duas vezes por ano! Cada um com seu vício né?

  6. Isso mesmo Rodrigo, olha eu tenho um iPad 1 e posso te dizer que tendo ele não sinto tanta vontade assim de ter o 2 ou o 3 não, nada de essencial que motivaria uma compra, e olha que comprei esse usado e me atende perfeitamente, o que só me faria mudar mesmo seria se aplicativos que já uso perdessem a compatibilidade com o iOS 5.1 e se me vesse sem poder desfrutar de muitos bons jogos que tem pra iPad, no mais continua aqui firme e forte.

  7. Achei o texto ótimo, realmente retrata a nossa relação com a tecnologia. Há algumas semanas estava pensando em trocar o meu celular. Possuo um Galaxy 3, modelo bem simples e “antigo” da Samsung, mas estava com vontade de pegar um modelo mais recente e arrojado, um Galaxy Nexus ou talvez até um Galaxy SII, mas me dei conta que no final não faria diferença, pois o meu uso principal é escutar música, mandar mensagem e, de vez em quando, checar email/redes sociais, o que o meu celular me server muito bem, e como também já tenho uma câmera compacta não me valeria de muita coisa trocar o G3 pelo S2 só pela qualidade de imagem.
    Não troco o meu, pelo menos enquanto ele estiver comigo e funcionando.

  8. Ola
    Cada um na sua !!! Esperem quando chegarem aos 70 anos, e o tempo vai passando………O que vc mais quer fazer e usufruir dos prazeres que vc tem condicoes de fazer, comer, comprar, ……. A vida passa muito, mas muito rapido, e nao pretendo deixar para mais tarde…… Se vc quer e pode ? Faca !!! Abrace, beije,……. O meu Iphone 4 vai de presente para o meu filho e eu ainda nao sei que modelo comprar, mas vou trocar ……!
    Abracao

  9. Daí vem um outro problema, que TODOS nós reclamamos: Os preços praticados no Brasil.
    Se por 1 ou 2 anos as pessoas deixassem de trocar seus smartphone ou tablets, o preço cairia significativamente. É a lei do mercado. Se não há procura os preços caem pra atrair o consumidor. Enquanto 90% dos desesperados continuarem indo atrás do último lançamento pra poder acessar o Facebook, obviamente os fabricantes continuarão ditando os preços que quiserem. Nem o governo tem interesse nisso, afinal todos saem lucrando. Seja com os impostos ou com o “lucro Brasil”. Mas em um país desse tamanho é impossível mobilizar um número suficiente de pessoas pra mudar isso. É só ver a indústria automobilística.

  10. Não concordo, o próprio Rodrigo acabou de trocar o galaxy note e o Lumia pelo SIII, ta certo, foi para se manter atualizado para o blog, mas com certeza vc percebeu features melhores em seu novo aparelho, e o mais importante, perdeu menos dinheiro na troca do que se ficasse mais um ano com os aparelhos antigos. Assim como a industria do automóvel que foi usada como comparativo, os smartphones desvalorizam rápido justamente pelo enorme número de lançamentos. Então nada melhor do que se você puder, trocar de aparelho uma vez por ano, pois vc vende seu usado ainda por um bom preco, e não sofre tanto financeiramente para comprar o novo.
    Eu comprei um RAZR no final do ano passado, e já estou negociando passar ele pra frente, comprei por 1500 e estou vendendo por 1000, perder 500 com um ano de uso acho razoável por tudo de bom que ele me ofereceu nesse ano, vou de galaxy note II e sei que vou ter novos e melhores recursos para aproveitar por todo o ano de 2013, e assim vou seguindo, final do ano que vem veremos que novidades teremos rsrsrsrs

  11. Concordo com o posicionamento. E não é de hoje que precisamos rever esse consumismo desenfreado. Muitas vezes ficamos fascinados com as atualizações dos celulares, sendo que, muitas das vezes as utilizaremos pouquíssimas vezes.
    Muitas vezes queremos apenas ter o S.O mais atualizado, e as fabricantes não as disponibilizarão para nossos aparelhos, e ficamos com o interesse de adquirir um novo.
    Eu tenho um Milestone 2, e pensei em troca-lo por um Milestone 3, mas desisti, pois o 2 continua a me atender muito bem, além do que ao que tudo indica a motorola não irá atualizar o MS3 para o ICS. Mas eu estava cansado da 2.3.6 da Motorola, que estava muito ruim. O que eu fiz? Instalei a Cyanogenmod 10, e agora o MS2 roda Jelly Bean, e muito bem. Ou seja, a Motorola informa que o hardware não seria compatível, quando é, e isso todas as fabricantes fazem. Portanto, o MS2 só será substituido se quebrar ou se não servir mais para meu uso cotidiano, e o mesmo digo do meu iPad 2, só troco quando não servir mais para meu uso cotidiano.
    Chega de dar dinheiro para as fabricantes que não respeitam os usuários (motorola isso é para você).

  12. Concordo que não vale o investimento, trocar todo ano é sem dúvida um absurdo.
    Trocar a cada dois anos já é mais interessante, pois você costuma pegar alterações tanto de hardware quanto de design, além das mudanças serem mais significativas.
    Agora, uma coisa que um smartphone, que nós passamos olhando para em média 3 horas a cada dia é que cada segundo de velocidade que o processador ganha, é um segundo a mais que você pode fazer outra coisa, usar um app mais rapidamente e etc.

  13. Eu cheguei a mesma conclusão neste ano! Tenho um iPhone 4 e venho usando ele a quase 2 anos. Este mês comprei um Android de ponta (gastando pouco) pois queria conhecer o sistema e ter um aparelho mais rápido! Qual conclusão que eu cheguei? O android é rápido e os aplicativos rodam com melhor fluidez… mas tem os mesmos aplicativos que o iphone, a camera tem a mesma qualidade e a bateria dura tão pouco quanto o iphone!! (rs!). Muda a carcaça, o fabricante, o processador mas em relação a produtividade e funcionalidade é a mesma coisa!!!
    E pensar que a 2007 eu comprei o saudoso N95 por mais de R$ 2000,00!!!! Hj, com certeza, investiria esse dinheiro em outro lugar!
    E eu venho acompanhando o seu trabalho desde aquela época Rodrigo!!! Parabéns pelo trabalho!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.