Fim do iPad 3 faz usuários correrem para vender aparelho

Após o anúncio do lançamento de um “novo” iPad, segundo a CNET, o site norte-americano NextWorth registrou um aumento de 1.015% nas ofertas de vendas e trocas envolvendo o tablet da Apple em seu modelo da terceira geração. A corrida para vender modelos antigos do iPad disparou após o anúncio do iPad mini e da precoce saída do mercado do iPad 3, substituído por um modelo com processador A6X cerca de duas vezes mais veloz e com o conector Lightning.

O iPad 3 respondeu por 66% dos anúncios na página contra apenas 28% do modelo anterior, lançado em 2011. Mesmo com a decepção de um ciclo de vida tão curto eu não penso em vender o meu tão cedo, que provavelmente ainda seguirá o rumo natural dos gadgets aqui em casa, passando por outras pessoas da família antes de pensar em um momento de venda, que na maior parte do tempo não acontece.

Via IDG.

Anúncios

Com lançamento do novo modelo, Apple mata o iPad 3 após 7 meses

 

Nos últimos meses eu transitei entre acertos e erros de compra de equipamentos, mas no final das contas acabei com mais problemas do que o normal por causa dos últimos lançamentos da Nokia e Apple, que em pouco tempo praticamente mataram bons produtos que poderiam ter uma vida útil muito mais longa.

Primeiro eu comprei o Nokia Lumia 900, que não será atualizado para a versão 8 do sistema operacional e acabou encalhando em minhas mãos, pois mesmo querendo vender para fazer um caixa para a próxima versão, os valores oferecidos são tão baixos que acabei desanimando e deixando e aparelho para testes.

Ontem vou a vez da Apple, que após somente 7 meses de vida (5 no Brasil) lançou um novo iPad e acabou descontinuando a versão anterior, que certamente deverá sofrer uma grande desvalorização e a consequente perda de interesse dos usuários, deixando mais um problema nas mãos dos usuários.

O iPad está em um ciclo estranho de lançamentos quando comparado com todos os outros produtos da Apple, e mesmo este último modelo ainda reflete alguns dos problemas encontrados no iPad 3, que é mais grosso, mais pesado e mais quente do que o iPad 2.

O novo iPad tem como principais novidades o chip A6X, mais rápido que o A5X presente no antecessor, o conector Lightning (introduzido no iPhone 5 mês passado), e a melhoria da câmera frontal que agora realiza vídeo chamadas em HD pelo FaceTime, mas as outras características continuam idênticas, inclusive seu tamanho, peso e design. Alguns sites de tecnologia comentaram que o motivo para a empresa abandonar o iPad 3 seria o fato de que o chip A5X fazia o tablet esquentar mais do que o normal, mas não temos ainda nenhuma confirmação da veracidade desta informação.

O meu iPad 3 com certeza deve continuar me atendendo bem por um bom tempo, sendo que o motivo de sua compra foi a substituição do iPad 1 que estava com a esposa, mas de qualquer forma considero este tipo de atitude um grande desrespeito com o consumidor, que em muitos casos pode até ainda estar pagando por um aparelho que se tornou ultrapassado em pouco mais de 6 meses de uso.

E você, o que achou do fim do iPad 3?