Claro anuncia implantação de Rede 5G usando tecnologia de compartilhamento de frequências

Com a chegada do primeiro celular compatível com a rede 5G no Brasil, o Motorola Edge+ e Edge, uma boa notícia foi divulgada pela operadora Claro, que me interessou muito, pois também sou cliente da operadora e estou fazendo os testes no novo top de linha da Motorola. Veja a íntegra do release no texto abaixo.

De forma simultânea ao pré-lançamento do primeiro smartphone 5G no país, o Motorola Edge, a Claro anuncia a chegada da tecnologia 5G DSS na sua rede, iniciando essa implantação pelas frequências já alocadas ao Serviço Móvel Pessoal (SMP). Através da tecnologia DSS (Dynamic Spectrum Sharing, ou, na tradução, Compartilhamento Dinâmico de Espectro), a rede da Claro passará a distribuir recursos dinamicamente entre os smartphones atuais, que operam nas gerações anteriores, e os novos, que começarão a ser vendidos em breve e que sejam compatíveis com a nova rede 5G DSS.

Com isso, clientes que adquirirem smartphones aptos já poderão ter as primeiras experiências com a tecnologia 5G, com conexões 12 vezes mais velozes que o 4G convencional.

A nova rede 5G DSS da Claro utiliza a tecnologia de Compartilhamento Dinâmico de Espectro da Ericsson para oferecer a quinta geração nas faixas de frequências disponíveis hoje, sendo que o Motorola Edge, em pré-venda a partir de hoje, conta com a tecnologia 5G baseada na plataforma móvel Qualcomm Snapdragon 765 e também compatível com o recurso DSS.

Na próxima semana, a Claro, Ericsson, Motorola e Qualcomm vão detalhar, respectivamente, os planos de implantação da nova tecnologia, como a cobertura inicial de rede 5G DSS e o início das vendas do primeiro aparelho compatível no mercado brasileiro. Além disso, as empresas trabalharão em conjunto com a sociedade para fazer do 5G mais uma ferramenta de combate ao coronavírus e seus efeitos nocivos para a economia do país. As empresas estão trabalhando para acelerar iniciativas ligadas à telemedicina e à educação a distância, potencializadas pela nova tecnologia, e desenvolvidas especialmente para a população que mais precisa.

“A Claro ao longo do tempo tem se notabilizado em ser pioneira na introdução de novas tecnologias de telecomunicações no país e não poderia ser diferente com o 5G DSS. A chegada do 5G DSS permite oferecer uma primeira experiência com a quinta geração das redes móveis, utilizando tudo que temos investido e que já está disponível hoje. A Claro tem uma infraestrutura estado de arte, que já oferece o 4.5G mais rápido do país, e agora sai na frente oferecendo uma migração gradativa e transparente para o 5G, antes mesmo das novas frequências dedicadas a essa nova tecnologia terem sido outorgadas no país. Temos condições diferenciadas para oferecer a melhor experiência agora e isso só reforça nosso compromisso com o Brasil e com a inovação. Apesar dos tempos difíceis que vivemos no momento, vamos seguir evoluindo e investindo para oferecer sempre o melhor para nosso cliente”, afirma José Félix, presidente da Claro.

Todos os investimentos feitos para implantar o 5G DSS, nas frequências atuais, serão automaticamente aceleradores da implantação definitiva do 5G, com a posterior adição do espectro de 3,5 GHz e das faixas de onda milimétricas. Além das regiões que serão atendidas no plano inicial de implantação a ser anunciado pela Claro, a cobertura do 5G DSS crescerá gradativamente nos próximos anos dentro do projeto de modernização e expansão de capacidade de rede móvel da operadora.

O espectro adicional, que será leiloado pela Anatel em data futura, possibilitará expandir a capacidade de transmissão da rede 5G. Por utilizar frequências mais altas que as atuais, as novas faixas de espectro alocadas para o 5G exigirão a implantação de uma grande quantidade de antenas, para garantir cobertura e capacidade. Quanto mais alta a frequência, menor é o alcance e maior a necessidade de antenas de transmissão de sinal.

Outra evolução necessária na infraestrutura, nesse caso para redução da latência, será a virtualização de funções de rede, com a descentralização do core para datacenters mais próximos dos clientes, tecnologia conhecida como edge computing. Esta é outra atividade atualmente em andamento no plano de modernização da rede da Claro. A jornada rumo à solução definitiva e esperada do 5G, portanto, será longa e ainda vai requerer muito investimento, trabalho e tempo para implantação em todo o país.

No futuro, com mais espectro, mais antenas e uma nova topologia de rede, o 5G será veículo de uma grande transformação, conectando pessoas e sensores por meio de uma rede móvel de altíssima capacidade e baixa latência, capaz de automatizar e controlar as mais diversas atividades da sociedade.

E a chegada do 5G DSS, utilizando as frequências atuais e a mesma topologia de rede atual, ajuda a acelerar a implantação da nova tecnologia, além de reforçar o compromisso da Claro com a inovação e com a implantação pioneira das mais modernas tecnologias na sua rede.

“O 5G DSS revela-se uma forma de trazer evolução gradativa e que vem sendo utilizada como alternativa pelas maiores operadoras do mundo, inclusive em economias desenvolvidas, como Estados Unidos e Europa, e onde o espectro de 3,5GHz e de ondas milimétricas já foi alocado” afirma Paulo Cesar Teixeira, CEO da unidade de Consumo e PME da Claro. 

Desde que iniciou a modernização e implantação do 4.5G na sua rede, a Claro lidera em performance e também em cobertura, com todas as funcionalidades avançadas que o 4.5G oferece, como a capacidade de agregar frequências, uso de modulações avançadas e do MIMO 4×4, que permite uso simultâneo de quatro fluxos de transmissão e quatro de recepção nas comunicações entre a torre e o smartphone.

Vários estudos de mercado, divulgados por consultorias independentes, atestam a performance superior da rede móvel da Claro desde que os investimentos na implantação do 4.5G iniciaram, em 2017. A Claro oferece velocidades médias de navegação até 50% superiores às demais redes móveis do Brasil, segundo um desses estudos mais recentes.

Outro fator importante e acelerador da adoção do 5G DSS é a recente incorporação da Nextel, um importante aporte que possibilita à Claro ter hoje a maior quantidade de espectro alocado no SMP, combinando os espectros adquiridos por cada operadora e respeitando todos os limites estabelecidos pela Anatel. Com mais espectro e performance superior da rede 4.5G, a Claro tem condições únicas para fazer o compartilhamento da rede com o 5G DSS, garantindo mais qualidade de experiência e ainda contando com o 4.5G para complementar a cobertura onde o 5G DSS ainda não está disponível.

A Claro está sempre em busca da inovação e tem contribuído nas discussões com Anatel e sociedade para que se chegue a um modelo de leilão que seja isonômico entre todos os participantes e com políticas que ajudem a acelerar os benefícios e a adoção da nova tecnologia.

 “O leilão do espectro adicional para o 5G será um próximo passo, que deverá vir no futuro, levando em consideração grandes desafios que a crise atual trouxe e o significativo investimento que dele decorre tanto para aquisição do espectro como para implantar a cobertura e a virtualização da rede”, complementa Paulo Cesar Teixeira.

A Claro foi pioneira na comercialização no Brasil do 3G em 2007, 4G, em agosto de 2012, e foi pioneira também no lançamento do 4.5G no país, em 2017. Agora, sai na frente também no lançamento comercial do 5G DSS. A Claro vem trabalhando em conjunto com os fornecedores de tecnologia, órgãos governamentais, e instituições de pesquisa e desenvolvimento, nos trabalhos de homologação e certificação da tecnologia. 

Em 2016, a Claro demonstrou uma rede pré-5G, com 5,6 Gbps de velocidade na faixa de frequências de 15GHz. Depois, em 2017, levou a realidade do uso de carros autônomos graças à baixa latência do 5G. Em 2018, pela primeira vez no país, apresentou uma transmissão de vídeo Ultra-HD 8K em uma rede experimental de quinta geração. Ainda em 2018, foi pioneira ao instalar uma antena 5G no Brasil, no Rio de Janeiro, passando a colaborar com a Anatel e transformando o Centro de Pesquisas da Ilha do Fundão no laboratório de certificação da tecnologia no Brasil.

No final de 2019, a empresa protagonizou mais um marco tecnológico: fez do Allianz Parque o primeiro estádio brasileiro 5G. Na demonstração, pela primeira vez o Brasil viu uma transmissão holográfica em tempo real pela da rede 5G, que permitiu levar o músico Lucas Lima ao palco do espetáculo Led Zeppelin In Concert, com a Nova Orquestra, e fazer uma apresentação para o público. Na ocasião, o artista estava a aproximadamente 17 quilômetros do estádio, na sede da Claro, localizada no bairro de Santo Amaro, Zona Sul de São Paulo.

Já na virada do ano, de 2019 para 2020, a Claro apresentou uma inovação das transmissões de grandes eventos no Brasil e viabilizou, em parceria com a Rede Globo, a primeira transmissão 5G do Réveillon de Copacabana, a maior festa de Ano Novo do planeta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.