MacBook Pro com chip M2 atinge 108 graus Celsius com grande perda de desempenho

Com pouco tempo após o seu lançamento, um usuário conseguiu levar seu novo MacBook Pro com o chip M2 ao limite absoluto, atingindo nada menos do que 108 graus Celsius e níveis severos de aceleração do processador. Este problema muito preocupante foi relatado por Vadim Yuryev, da Max Tech, que foi ao Twitter esta semana com o seguinte comentário:

Descobrimos uma limitação térmica SEVERA com o novo M2 MacBook Pro da Apple, provando que ele precisa de um sistema de refrigeração MELHOR com duas ventoinhas em vez de uma. Exportamos 8K Canon RAW e vimos as temperaturas atingirem 108°C, mais do que já vimos em um Mac, até mesmo em um Intel Mac.

Segundo o site iMore, Yuryev comentou que os problemas do MacBook Pro de 13 polegadas (M2, 2022) ficaram ainda piores com sua única ventoinha no máximo a 7.200 RPM durante o teste, o que significa que “não havia nada que o MacBook Pro pudesse fazer para se resfriar exceto reduzir o desempenho do chip M2.” Esse throttling aparentemente esmagou o desempenho em comparação com o M1 Pro e o melhor MacBook da Apple, o MacBook Pro (2021).

Yuryev disse ainda que as velocidades de clock do M2 caiam em uma fração de segundo de 3200MHz para 1894MHz nos núcleos de desempenho e 2228MHz para 1444MHz, enquanto sua GPU caiu de 1393MHz para 289MHz. Yuryev disse que isso aconteceria em ondas, com cada acelerador baixando a temperatura de volta para 84 graus C quase instantaneamente antes de aumentar a velocidade do relógio e começar tudo de novo.

Ele diz que o MacBook Pro não teve esses problemas por causa de seu sistema de refrigeração mais capaz, mas admitiu que este foi “o teste de edição de vídeo do mundo real mais exigente que eles tinham”. A conclusão de Yuryev, pelo menos, é que o M2 MacBook Pro precisa de melhor refrigeração para evitar o throttling.

A exportação de imagens 8K RAW é uma tarefa extremamente intensiva em recursos, projetada para levar qualquer processador ao seu limite absoluto. A ideia de que um novo MacBook Pro da Apple está atingindo temperaturas de 108 graus Celsius é preocupante, entretanto, é extremamente improvável que o mercado-alvo para esta máquina acabe levando seu dispositivo a esse tipo de limite.

Vale lembrar que aqui no Brasil, por conta dos preços mais elevados, existe a possibilidade de os consumidores comprarem esta máquina para o trabalho pesado, o que pode ser um grande problema, pois até a nomenclatura do produto com o Pro pode levar muitos consumidores desavisados ao erro.

Estes testes mostram que o processador M2, mesmo dentro do novo MacBook Pro, está perdendo desempenho por um resfriamento ruim, o que pode ser uma péssima notícia não somente para quem comprou o MacBook Pro de 13″ com chip M2, mas também para quem pretende comprar o novo MacBook Air com o mesmo chip M2, que não conta com nenhuma ventoinha, o que pode piorar ainda mais esta situação de super aquecimento e perda de desempenho.

Na minha opinião tanto o MacBook Pro quanto o Air com chip M2 são máquinas excelentes para a maior parte dos usuários, mas sempre devemos ter em mente que não podemos exigir destas máquinas o desempenho de um MacBook Pro de fato, como os modelos Pro de 14″ou de 16″ que são realmente construídos para o trabalho pesado, tanto em CPU e GPU, quanto em resfriamento.

Via iMore.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.